TOP
3bf9fa38-6281-45ee-a295-228febf38f57
Europa filmes inspiradores Fotografia Inglaterra Londres Sem categoria Variedades

Do humor a realeza. 17 filmes e séries britânicas

O humor britânico é uma marca registrada, Com trocadilhos de palavras difíceis de traduzir, uma ironia sutil e toques de humor negro elisabetano , o refinamento inglês se traduz em comédias engraçadas mas também está presente em todos os estilos de filmes e séries.

Dentro do clássicos do humor figura Monty Phyton e a Vida de Brian como referências que não se perderam no tempo.  Nos anos 1990, Hugh Grant se tornou quase sinônimo de comédia romântica inglesa. Com talento para o humor, límpidos olhos azuis e a sedutora pinta de galã carente e carismático, o ator inglês alcançou o estrelato ao trabalhar em “Quatro casamentos e um funeral” (1994). O primeiro grande sucesso de público, vem antes do ano 2000,  a comédia romântica de Roger Michell marcou um dos mais memoráveis papéis de Hugh Grant. No longa, ele interpreta um desajeitado proprietário de uma pequena livraria no charmoso bairro londrino de Notting Hill e vai contracenar com Julia Roberts.

Buscando filmes mais históricos que espelham o caráter britânico fomos pelo caminho da aristocracia e da realeza, que retratam o período do grande Império Britânico . e não poderíamos deixar de fora os clássicos de Jane Austen.

Divirtam-se.

“Simplesmente amor” (2003)

Uma das melhores comédias românticas de todos os tempos. O filme de Richard Curtis acompanha a busca de diversos personagens pelo amor durante a semana de Natal. Na trama, Hugh Grant interpreta um primeiro ministro britânico que se apaixona por uma de suas assistentes. Recheado de estrelas, o elenco conta com nomes como Emma Thompson, Colin Firth, Liam Nesson, Rodrigo Santoro, Keira Knightley, Claudia Schiffer, Martin Freeman, Bill Nighy, Chiwetel Ejiofor e Rowan Atkinson, mais conhecido como Mr. Bean.

Onde ver : Netflix

Viagem de Cinema Simplesmente Amor

“Letra e música” (2007)

Dirigido por Marc Lawrence, o mesmo de “Amor à segunda vista”, o filme apresenta o mesmo Hugh Grant como Alex Fletcher, uma esquecida estrela pop dos anos 1980 que busca reencontrar a fama por meio da jovem cantora. Sem conseguir compor uma música há 20 anos, ele descobre que uma mulher que cuida de suas plantas, Sophie Fisher (Drew Barrymore), tem talento para escrever.

Onde ver: Netflix e no Globoplay.

images (1)

“O melhor amigo da noiva” (2008)

Um velho clichê mas que funciona muito bem! Apesar de,só pelo titulo sabermos do que se trata história,ela consegue te prender até o final. Garante muitas risadas e o final é simplesmente lindo,sem contar o lugar das gravações,na Escócia. Com Patrick Dempsey e Michelle Monaghan como os protagonistas Tom e Hannah.

Onde ver: Netflix

o-melhor-amigo-da-noiva-banner1

 

 

“A Very english Scandal” (2018)

Na minissérie mais recente, Hugh Grant interpreta Jeremy Thorpe, político britânico que é acusado de ser o mandante da tentativa de assassinato de seu ex-amante, Norman Josiffe (Ben Whishaw). Inspirado em fatos, o julgamento foi um escândalo no Reino Unido em 1979, servindo de banquete para os sensacionalistas tabloides ingleses.

Onde ver;  Globoplay e Prime.

22

 

“Elisabeth, a Era do Ouro” (1998)

Elizabeth Tudor torna-se a rainha de uma dividida e perigosa Inglaterra em 1558. Ela é vista como fraca por ameaças de todo lugar e é altamente aconselhada a se casar por um advogado William Cecil, mas ela só vai se casar com seu país. Inteligente e cautelosa, ela deve escolher onde colocar a sua confiança: com seu astuto secretário Walsingham, um mestre da espionagem, ou seu amante secreto, Sir Robert Dudley.

20497575

“Orgulho e Preconceito” (2005)

Inglaterra, 1797. As cinco irmãs Bennet foram criadas por uma mãe  que tinha fixação em lhes encontrar maridos que garantissem seu futuro. Porém Elizabeth deseja ter uma vida mais ampla do que apenas se dedicar ao marido, sendo apoiada pelo pai (Donald Sutherland). Essa história é feita de conversas ouvidas pelas frestas, pontos de vista e desencontros. Elizabeth se opõe a Mr.Darcy desde sua chegada e sua repulsa por ele cresce na mesma medida em que o amor de Jane e Bingley se consolida. Um classico que ja teve muitas versões

images

“O Discurso do Rei” (2010)

O Príncipe Albert da Inglaterra deve ascender ao trono como Rei George VI, mas ele tem um problema de fala. Sabendo que o país precisa que seu marido seja capaz de se comunicar perfeitamente, Elizabeth contrata Lionel Logue, um ator australiano e fonoaudiólogo, para ajudar o Príncipe a superar a gagueira. Uma extraordinária amizade desenvolve-se entre os dois homens, e Logue usa meios não convencionais para ensinar o monarca a falar com segurança.

images (5)

“Dowtown Abbey” (2010-2015)

Sucesso imediato desde a estreia, a produção abocanhou alguns dos mais prestigiados prêmios mundiais , como o Globo de Ouro e o Emmy de melhor minissérie dramática. A trama mostra o cotidiano de uma família aristocrática e seus empregados em uma propriedade chamada Downton Abbey, localizada na região inglesa de Yorkshire. A história começa um dia após o naufrágio do Titanic, em 14 de abril de 1912, e segue até a década de 1920. Mesmo depois da transmissão de seu último episódio em 25 de dezembro de 2015, Downton Abbey tem uma legião tão grande e fiel de fãs, que ganhou uma versão cinematográfica e bateu recordes de bilheteria em seu lançamentos nos cinemas dos Estados Unidos.
Onde ver: Amazon Prime

5d88f8f52300009105d613f3

“The Crown” (2019)

A mais cara produção da gigante Netflix tem DNA britânico. Com roteiro do grande Peter Morgan, a série conta toda a trajetória da rainha Elizabeth II. Desde seu casamento, em 1947, até aos dias atuais. Nas duas primeiras temporadas, a monarca é interpretada pela jovem Claire Foy, que no papel se mostrou uma das grandes revelações britânicas. Já na terceira, que estreia no dia 17 de novembro, quem faz a rainha é a veterana (e vencedora do Oscar de melhor atriz em 2019) Olivia Colman. The Crown é simplesmente impecável.

thecown_800x800-min
Onde ver: Netflix

“Outlander” (2014)

Com uma trama que mistura romance e drama histórico, Outlander virou um cult já em sua primeira temporada, em 2014. A história parece meio piegas, mas a produção é tão caprichada que supera a trama, à princípio, boba. A inglesa Claire Randall (Caitriona Balfe), enfermeira durante a Segunda Guerra Mundial, se reencontra com seu marido Frank e resolvem fazer uma viagem juntos à Escócia. O problema é que por conta de um estranho fenômeno, ela é transportada para o ano de 1743, durante os levantes jacobitas, uma série de rebeliões que tinham o objetivo de reconduzir Jaime II para o trono que foi deposto pelo Parlamento inglês durante a Revolução Gloriosa. Nesse ambiente, ela conhece o jovem guerreiro escocês Jamie Fraser (Sam Heughan), antepassado de Frank por quem ela se apaixona.
Onde ver: Netflix, Claro Vídeo e FOX Premium

5d88ffa52300005600d62078

 

 

“A jovem Rainha Vitoria” (2009)

Única herdeira legítima do rei William, da Inglaterra, a adolescente Vitória é envolvida nas intrigas políticas da sua própria família. Sua mãe deseja que ela assine uma ordem de regência enquanto seu tio belga organiza um casamento entre a futura monarca e o príncipe Albert, o homem que se torna o amor de sua vida.

images (4)

“Victoria” (2016)

A série Vitória: A Vida de Uma Rainha é um drama de época estrelando Jenna Coleman como uma jovem de apenas 18 anos que ascende ao trono do império britânico.

Como Vitória veio a reinar por 63 anos e morreu com 82 anos, é comum vermos fotos da Rainha já idosa, sempre vestida de luto. Nesta série, ela é mostrada como uma jovem que teve pouco contato com o mundo exterior durante a infância, mas que tem uma personalidade forte e decidida.

images (6)

“Victória e Abdul” (2017)

Sem querer, a jornalista Shrabani Basu encontrou um tesouro ao visitar a Casa Osborne, residência de veraneio da rainha do Reino Unido na ilha de Wight. Abdul Karim é um jovem indiano que viajou para a Inglaterra para participar do jubileu de ouro da Rainha Victoria. Abdul tem a oportunidade de se aproximar da Rainha e isso acaba gerando atrito no círculo de convívio real.

victoria-albert-1

“Mr. Selfridge” (2013)

Mr. Selfridge é uma série que conta a história de vida e acensão de Harry Gordon, quando, em 1909,  resolveu empreender e abrir a popular loja de departamentos Selfridges, em Londres.

Harry mostra durante o filme o seu incrível “tino comercial”, pois introduziu o consumismo americano à rígida cultura inglesa em uma época de incertezas e pré duas guerras mundiais.  

Onde ver : Netflix

MV5BMTY4NTMwNDYzNV5BMl5BanBnXkFtZTgwMjY1NzQxMTE@._V1_

“The Tudors” (2007)

 O seriado dividido em 4 temporadas mostra a vida do Rei Henrique VIII e todo o cenário de decisões políticas do soberano, sua vida particular e principalmente amorosa. Henrique é o segundo da casa de Tudor a assumir o trono e governa de 1509 a 1547, um espaço de tempo em que ocorreram grandes mudanças na Inglaterra que perduram até hoje.

A série inicia mostrando os conflitos com a França, e ao desenrolar vai revelando personagens chave no entorno de Henrique. Vemos os conflitos com a corte e familiares que tramam para usurpar sua coroa. Seus conselheiros mais próximos com Thomas e Wolsey figuram como coadjuvantes e auxiliam em muitas das decisões do rei.

Onde ver: Globoplay

1-704631

 

“After Life” (2019)

Uma pérola de mau humor engraçado, os diálogos são impagáveis. Após a morte inesperada de sua esposa, Tony (Ricky Gervais) decide mudar seu modo de viver. O cara legal logo se torna um homem repugnante que diz o que quer para quem não quer ouvir. A situação se complica, quando as pessoas ao redor de Tony tentam transformá-lo em uma pessoa melhor novamente. 

Onde ver: Netflix

images (2)

“Quatro Casamentos e um Funeral” (2020)

Como a maior parte da humanidade, a atriz, roteirista e produtora Mindy Kaling (“The Office”) era fã das comédias românticas escritas por Richard Curtis, como “Quatro Casamentos e Um Funeral” (1994), “O Diário de Bridget Jones” (2001) e “Simplesmente Amor” (2003).O longa era centrado no inglês Charles (Hugh Grant), um solteirão convicto de cabelos charmosamente desgrenhados e falas hesitantes, que encontrava (e se desencontrava) a americana Carrie (Andie MacDowell) em quatro casamentos e um funeral. Na nova minissérie, Maya , ( Missandei de “Game of Thrones”) é uma americana trabalhando para um senador em Nova York que vai a Londres para o casamento de sua melhor amiga. Já no aeroporto, Maya tem um “meet cute”, o encontro fofo que dá o pontapé inicial a todas as comédias românticas, com Kash, sem saber que ele é o noivo de sua amiga. Não é difícil imaginar onde isso vai dar.

Fiquei muito curiosa mas ainda não encontrei nas plataformas brasileiras.

Onde ver : Fox Premium (não estreou no Brasil) 

FEATURE_4W1F

 

Para quem quer mais dicas de séries para maratonar: Melhores séries da quarentena

«

»

2 COMENTÁRIOS
  • Maria G E de Castro
    1 mês atrás

    Vocês sempre otimas

    • Mylene
      1 mês atrás
      AUTHOR

      Obrigada Maria!
      Mensagens assim são um estímulo.
      Abraço
      Mylene

Deixe-nos seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Captcha *