TOP
Ch. - Bol. 129
America do sul Atacama Chile

San Pedro do Atacama – Parte II – passeios Por Luciano Zanetello

A grosso modo, a cidade de San Pedro  resume – se em  duas ruas num sentido por quatro quadras no outro.

É no centro ( rua Caracoles )  onde tudo acontece. Ali estão concentrados quase todos os restaurantes e agencias de turismo . A cidade tem toda uma arquitetura característica onde o adobe é muito utilizado nas construções.

Igreja de San Pedro

No cair da tarde , a rua “bomba” com o retorno dos turistas.

Em pouco tempo ali, vemos muito mais estrangeiros do que em um mês em Porto Alegre. Os europeus são a maioria . Em conversa com alguns , perguntamos se já tinham visitado o Brasil e vários comentaram  que principalmente a violência os desencorajava. Em contrapartida a sensação de segurança aqui é total.

Nosso hotel ficava afastado do centro uns 2 km ,íamos e voltávamos a qualquer hora pelos caminhos desertos sem nenhum problema . O trânsito de vans e micros é intenso apanhando e largando os turistas nos hotéis e pousadas .

No centro existe um “solmaforo” que mostra a intensidade da radiação. As temperaturas variavam de 30ºC / dia aos 0ºC  na madrugada . A cozinha é internacional com bastante influência local, os restaurantes que eu recomendaria seriam o Adobe e o Todo Natural , ambos na Caracoles.

Clima no restaurante  

Vai um risoto de Quinua ?

        Os atrativos aqui são inúmeros . Escolhemos os roteiros “carimbados” pois tínhamos pouco tempo .

No primeiro passeio  fomos conhecer o “Vale de la Luna” assim chamado por sua geografia que lembra a desolação lunar  e o “Vale de la Muerte”  pois registra as condições mais adversas de temperatura e umidade . Este passeio é sempre feito a tarde para que ao cair do sol estejamos posicionados estrategicamente num lugar onde acompanhamos as variações de cor que a mesma paisagem vai sofrendo conforme o sol vai chegando ao ocaso.

Vale de la Luna / Estádio

As 3 Marias , Vale de la Luna 

Paisagem lunar    

Licancabur ao pôr do sol 

No outro dia , fomos visitar o “Salar do Atacama” com algumas lagunas, entre elas a Laguna Cejar que tem uma salinidade tão grande que a pessoa não afunda . Também visitamos  os “Ojos del Salar” que são duas piscinas circulares ,com agua surpreendentemente  doce onde  aproveitamos para tirar o sal . .

Laguna Cejar  

Ojos del Salar  

Final de tarde

               O ponto alto foi a visita no dia seguinte ao “Campo Geotérmico” , para nós :os geisers, sendo o maior deles o “El Tatio”. Como as maiores erupções dão – se ao nascer do sol, o tour saía de San Pedro  as 4:00 hs da manhã . A recomendação era de muita roupa pois o frio seria intenso. Ao cabo da visita, os corajosos poderiam tomar banhos nas águas termais que emanavam dos geisers . É um espetáculo grandioso. A temperatura na chegada  era de -8ºC , um pouco antes do nascer do sol. Uma hora depois foi servido um café da manhã ao lado dos geisers e findo este, nos levaram até a piscina para aqueles que quisessem tomar banho. O maior problema foi “descascar’ as várias camadas de roupa. A temperatura nesta hora era de -3ºC. A água estava a 33º C e era muito agradável. O único problema era na saída até colocar novamente a roupa, nada que nós, acostumados com nosso mar e vento aqui em Julho, não encarássemos.

Geisers

El Tatio  

 Borbulhar

Ofurô Natural  

     A volta ,agora na luz do dia proporcionava lindas paisagens com montanhas , vulcões e observação da   fauna nativa com muitas Lhamas e Vicunhas.

Povoado Atacamenho / Machuca

 Vulcão  

 Descansamos no hotel o resto do dia , pois na manhã seguinte  sairíamos para um tour de 03 dias no altiplano Boliviano.

«

»

2 COMENTÁRIOS
  • Fernanda
    6 anos atrás

    Olá, gostaria de saber com qual agência vocês foram para o Campo Geotérmico!!!

    Abs, Fernanda

  • Mylene
    8 anos atrás

    Fiquei muito curiosa com o Altiplano Boliviano .
    Espero a continuação.
    Lindo post. Parabéns.

Deixe-nos seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Captcha *